A respeito da felicidade

A busca da felicidade é um desejo inato no indivíduo, todos desejam ser felizes. Essa preocupação é tão grande, que se tornou, ironicamente, muitas vezes, motivo de infelicidade e desarmonia.

A sociedade exige que o ser humano seja 100% feliz e, para isso, lhe impele coisas, desejos, necessidades, sensações que, quando conquistadas, proporcionariam pretensa felicidade (falsa). E, se alguém demonstrar momentos de angústias, melancolias ou tristezas, logo é classificado como doente, imputando-lhe a necessidade de tratamento médico-farmacológico (pílulas da felicidade).

A felicidade é, antes de tudo, uma opção de vida: qualquer um pode ser infeliz, é mais fácil, não exige nem coragem, nem esforço.

A verdadeira conquista está na luta para ser feliz.

Alguns presumem que a felicidade é um sentimento resultante das coisas boas que simplesmente acontecem, sob as quais se tem pouco ou nenhum controle. Na verdade, praticamente não há correlação entre as circunstâncias da vida e a felicidade das pessoas. Isso é muito fácil de comprovar: há pessoas que têm uma vida relativamente fácil e são infelizes; outras que, apesar de haverem sofrido muito continuam, de modo geral, felizes.

Para alcançar uma vida mais feliz é necessário tomar algumas atitudes:

1º – Evitar comparar-se aos outros. É comum achar que o outro é mais feliz, sem saber o que se passa no seu íntimo, quais são os seus conflitos. Se realmente ele já é um ser mais feliz, é porque já executou uma caminhada que pode ser trilhada.

2º – Não idealizar uma vida perfeita. A idéia de que a felicidade só chegará após a conquista do emprego, depois do casamento, com a chegada dos filhos, com a estabilidade financeira, etc, é equivocada. Quase nunca essas situações corresponderão ao ideal desejado. Todos possuem imperfeições que devem ser aceitas e respeitadas, não devendo as dificuldades serem obstáculos para a alegria de viver. É importante desfazer-se da imagem de perfeição para si e para os outros.

3º – Não se preocupar tanto com o que falta, mas comemorar o que já se conquistou. Escolher sempre o lado positivo em qualquer situação é uma decisão que, como a felicidade, cabe exclusivamente a cada um.

4º – Sentir gratidão. Todas as pessoas felizes são gratas. Não é a infelicidade que leva à reclamação, mas a reclamação que leva à infelicidade.

5º – Crer na transcendência da vida. A existência tem um sentido maior do que simplesmente sofrer, trabalhar, buscar prazeres e morrer. Nas múltiplas reencarnações do espírito, o único e definitivo objetivo é a felicidade, que será conquistada pela evolução intelecto-moral do indivíduo. As dores e sofrimentos são percalços no caminho, devido ao mau uso do livre-arbítrio, que surgem para corrigir o rumo de uma jornada equivocada.

6º – Para ser feliz não são necessários conhecimentos profundos ou místicos ou ter privilégios com o Criador. Basta seguir os preceitos de Jesus: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, não fazendo, nem desejando aos outros aquilo que não desejaria a si próprio.

Plantando alegrias, colhe-se felicidade. É simples… basta querer!

Luis Roberto Scholl

Uma resposta para A respeito da felicidade

  1. Jane Cruz Duarte disse:

    Adorei os dois textos: curtos,precisos,de linguajar simples e de fácil elucidação . Visitarei este site mais vezes com a certeza do auxílio que busco para minhas aulas de evangelização.
    Muito obrigada,fiquem na PAZ.
    Jane C. Duarte – CEFAC – Centro Espírita Fabiano de Cristo – Austin – Nova Iguaçu.

%d blogueiros gostam disto: