Eu começo, você termina

28/09/2006

OBJETIVO: auto-conhecimento, comunicação e aproximação do grupo, reflexão dos pontos de vista, rapidez de raciocínio.

MATERIAL: frases incompletas em uma folha de papel

COMO APLICAR: explicar a turma que você vai iniciar uma frase e que, imediatamente, sem tempo para pensar, alguém irá completar. Estabelecer a ordem das crianças que irão responder antes de iniciar a leitura, para que o tempo de leitura possa ser bem rápido. Se preferir, você pode trabalhar com pequenos grupos entre si, onde o restante da turma acompanha o “pingue-pongue” de frases e depois todos comentam.

SUGESTÕES DE FRASES:

-sinto-me mais feliz quando …

-tenho vergonha de …

-adoro …

-detesto …

-tenho pena de …

-o que mais me irrita é …

-acredito que …

-quando penso na morte, eu …

-para ser meu amigo você tem que …

-o que mais importa para mim é …

-choro quando …

-quando chego na sala eu …

-quem me conhece sabe que …

-quem não me conhece pensa que …


E se fosse comigo?

28/09/2006

OBJETIVO: você já pensou como reagiria se …

Colocar o aluno frente a situações embaraçosas, engraçadas, privilegiadas ou desconfortáveis para que ele observe como seria sua reação e experimentar vivenciar a situação.

MATERIAL: fichas com uma pergunta em cada

COMO APLICAR: explicar ao grupo que cada ficha tem uma pergunta com uma situação na qual eles precisam se imaginar vivendo. Pedir um voluntário e, alertando para que todos sejam o mais sinceros possíveis, comecem a responder. É importante estimular a interação do grupo em relação a cada resposta dada.

SUGESTÕES:

– se você ganhasse na loteria, o que faria com o dinheiro?

-o que você mais gostaria de fazer e não pode ?

-e se você tivesse oportunidade de furtar alguma coisa em uma prateleira de supermercado?

– o que você faz quando vê um mendigo na rua ?

– e se um amigo lhe oferece algo que você sabe que é caro, mas com um preço muito baixo ?

– quando você chega num lugar que não conhece ninguém, como você se comporta ?

– e se um colega da escola termina o recreio sempre machucado e chorando ?

– e se você vê alguém furtando em uma loja ?

– e colando na prova ?


Eu concordo! Eu discordo !

27/09/2006

OBJETIVO: através da argumentação entre os grupos, fixar valores e idéias importantes na formação das crianças.

COMO APLICAR: dividir a turma em dois grupos, onde um grupo representa CONCORDO e o outro grupo representa DISCORDO.

Preparar frases, expressões ou palavras que possam gerar polêmica e aprendizado.

Exemplos: aborto; eutanásia; pena de morte;

” manda quem pode, obedece quem tem juízo”;

suborno; “ficar”; ” a ocasião faz o ladrão”;

” as coisas boas da vida, ou são pecado ou engordam “;

” a união faz a força “.

Escolher um a um o tema e estabelecer o tempo de 5 minutos para cada grupo faça a sua defesa, discutindo, argumentando, aceitando ou não o que o outro grupo lhe expõe.

Após os 5 minutos, inverter os papéis: quem concordou, agora vai discordar.

No final de desenvolvido todos os temas, a reflexão é dirigida ao grupo:

quais as dificuldades em concordar ou discordar?

-como foi trocar de posição e ter que argumentar ao contrário? (colocar-se no lugar do outro)

– que sentimentos surgem ao sermos questionados?

– conseguimos ouvir o outro e mudar de opinião? ou somos radicais defendendo o grupo ao que pertenço?

– damos importância a opinião do outro?


Meninos x Meninas : preconceito de sexo

27/09/2006

OBJETIVO: redimensionar valores, quebrar paradigmas, rever preconceitos, viver a situação do outro.

MATERIAL: papel e lápis

COMO APLICAR: dividir a turma em um grupo de meninos e outro de meninas. se a turma for muito grande, pode-se criar sub-grupos, por exemplo, 3 grupos de meninos e 3 grupos de meninas.

Distribuir o papel e lápis para cada grupo e colocar no quadro duas frases:

– para o grupo de meninos: ” como homem eu tenho de …”

– para o grupo de meninas: ” como mulher eu tenho de …”

Deixar o grupo à vontade para listar o maior número de ítens, mas estabeleça um limite de 15 minutos.

Ao término deste tempo, trocar as frases no quadro para:

– para o grupo de meninos: ” se eu fosse mulher poderia…”

– para o grupo de meninas: ” se eu fosse homem poderia…”

Dê mais 15 minutos para que os grupos possam eleborar sua nova lista de ítens.

Ao final, fazer a leitura, dirigindo questionamentos como:

– até que ponto homens e mulheres têm os privilégios a que se atribuíram?

-como essas diferenças afetam a vida de homens e mulheres?

-é possível ser homem e fazer ou exercer algum ítem listado nas mulheres? e as mulheres podem ser ou fazer algum ítem listado nos homens?

-quais as vantagens de ser homem que são reais e quais são esteriotipadas? e com as mulheres?

Dinâmica alternativa:

– listar as vantagens de ser homem ou mulher.

– listar as desvantagens de ser homem ou mulher.


Reforçando Valores

27/09/2006

OBJETIVO: refletir sobre valores pessoais, conduta, ética e auto-crítica para que o grupo possa se conhecer melhor e trabalhar sua força de vontade e reforma íntima.

Este tema pode ser aplicado como reforço da aula Força de Vontade.

MATERIAL: papel e lápis

COMO APLICAR: anotar no quadro, para que o grupo possa ler, uma série de valores que deverão ser listados no papel em ordem de prioridade: qual a importância de cada valor desses para a minha vida pessoal?

AUTO-REALIZAÇÃO

PODER

HONESTIDADE

PRESTÍGIO

DINHEIRO

SEGURANÇA

ESPIRITUALIDADE

PRAZER

ÉTICA

COMPETÊNCIA

Não será necessário a exposição individual, pois este exercício tem a finalidade de colocar o aluno em reflexão, onde ele possa perceber sózinho ao que ele realmente dá importância.

Fazer o mesmo procedimento para se tentar um consenso de qual será a ordem desses valores para o grupo. Neste caso, todos argumentarão.

Atividade complementar: pedir que cada um exclua um ítem da lista e perceber como ficaria a sua vida sem ele.


Força de Vontade

22/09/2006

Muitas vezes um pequeno empurrãozinho é suficiente para que nossa força de vontade seja impulsionada e, com isso, algumas situações de nossa vida podem ser melhoradas. A vontade é a mola propulsora da ação, do trabalho, do esforço próprio, que leva o Espírito a desenvolver seu potencial interior.

OBJETIVO: conscientizar o grupo de que a vontade é uma das maiores potências do espírito e que, se tivermos firmeza, podemos promover nossa melhora, vencendo as más inclinações e o desânimo.
MATERIAL: papel e lápis

COMO APLICAR: contar uma história onde a força de vontade é o diferencial para o êxito; vc pode achar boas histórias nestes sites:
http://www.searadomestre.com.br/evangelizacao/

http://www.momento.com.br/

http://www.techs.com.br/meimei/entrada.htm clicando em histórias

http://www.edicoesgil.com.br/educador/boasvindas.html

Leve também exemplos reais de pessoas, que por força de vontade, alcançaram suas metas (Helen keller, Marina Silva, Gandhi, Albert Schweitzer, Janusz Korczak )

Após a leitura da história e a apresentação dos exemplos reais, distribuir o papel e o lápis e colocar no quadro as questões para reflexão individual:

alguma coisa que gosto em mim

algo que dizem de mim e eu não concordo

uma coisa chata que eu não gostaria que ninguém soubesse sobre mim

algo que eu posso ensinar a alguém

Explicar ao grupo que para desenvolver nossa vontade é preciso nos conhecer melhor, aceitando nossas dificuldades, percebendo como lidamos com o que nos agrada ou com o que nos desagrada.

Dinâmica complementar:Cada um recebe papel e lápis, onde anotará a principal virtude que acha do companheiro sentado a sua direita, sem identificar a pessoa, apenas colocará a qualidade, por exemplo: honestidade, simpatia, e assim por diante.

Os papéis serão dobrados, recolhidos e misturados. O educador então começa a ler as virtudes e grupo tentará identificar quem assume melhor aquelas características.

O mais votado recebe o papel e guarda até o final do jogo. Quando todos os papéis forem distribuídos cada um deve dizer como se sentiu, sendo identificado por aquela característica: se concorda ou não que ela seja sua característica mais marcante.

Neste momento, um membro do grupo revela o que escreveu sobre o seu amigo da direita e justifica. Após todos serem identificados, é ressaltada a importância de nos habituarmos a enxergar as virtudes, aceitar defeitos para viver em harmonia com o mundo.


APRENDENDO com o JOGO da VELHA

19/09/2006

OBJETIVO: trabalhar a teoria da Doutrina dos Espíritos de maneira divertida. Este jogo pode ser usado para trabalhar conceitos novos, reforçar o conhecimento básico do Espiritismo ou para rever temas aprendidos em aulas anteriores.

MATERIAL: folha de papel pardo com o jogo da velha e o tema a ser trabalhado, desenhado e escrito grande o suficiente para que todos possam ler de seus lugares na sala de aula ; os símbolos do jogo da velha + e O recortados em cartolina, pelo menos 6 unidades de cada.

COMO APLICAR: em cada espaço que corresponde a uma “casa” do jogo da velha, escrever o tema que será trabalhado.O ideal é que esta etapa seja feita anteriormente, em casa.

Exemplo: para uma aula de reforço sobre a teoria básica da Doutrina, as 9 “casas” do jogo da velha podem ter as palavras – EVANGELIZAÇÃO; REINO DE DEUS; REENCARNAÇÃO; PLANETA TERRA; SOLIDARIEDADE; LIVRE-ARBÍTRIO; LEI DE CAUSA E EFEITO; PERDÃO; EGOÍSMO, onde cada palavra é escrita em uma “casa” do jogo.

A turma se divide em dois grupos, onde um grupo representa + e o outro, O. Alternadamente, os grupos escolhem uma palavra e dão a definição oralmente. A medida que vão acertando, os símbolos do jogo vão sendo marcados. A escolha das palavras devem visar o traçado de uma linha horizontal, vertical ou em diagonal, que é como funciona um jogo da velha tradicional. É importante o grupo perceber sózinho esta necessidade. Vence quem fizer primeiro a linha em um dos sentidos.

VARIAÇÕES: em cada “casa” do jogo da velha escrever a definição e o grupo precisa descobrir sobre o que se está falando.

Exemplo: maior ensinamento de Jesus (amor); forte mecanismo que nos impulsiona ao trabalho, ao esforço e ao progresso (vontade); conversa sincera com Deus e com os amigos espirituais e que nos trazem inspiração e conforto
(prece).